segunda-feira, 8 de junho de 2015

TRILHA DOS TUCANOS - VIAJAR, COMER, FOTOGRAFAR, PASSARINHAR, FAZER AMIGOS,...

ESTE POST DEVERIA SE CHAMAR: "É POSSÍVEL PASSARINHAR SEM UMA TELEOBJETIVA?"

Araçari-banana em comedouro na Trilha dos Tucanos - foto feita com a Canon 7D , lente 28/200mm
Bom...Se o local escolhido for a Trilha dos Tucanos, então é possível sim!
A prova está aqui, todas as fotos desta postagem foram feitas com uma Canon 7D com lente 28/200mm e com a 5D MarkII com uma lente 28/135mm.
Em algumas delas a distância era tão pequena entre a câmera e a ave que precisávamos nos afastar para conseguir focar.

Sintam a dificuldade em fotografar
Mas antes de falarmos sobre a questão das aves e da fotografia quero manifestar algo que muito nos marcou e que sempre buscamos em nossas viagens, mesmo as mais curtas.
Já estive antes na Trilha dos Tucanos e na ocasião ficamos muito felizes com a recepção, a atenção e o carinho dispensado a nós pelos proprietários, os queridos Marcão e Patrícia. Desde então não conseguimos voltar ao local, em todas as vezes que tentamos algo acabava sempre frustrando a nossa viagem.
Desta vez havíamos proposto de irmos para lá aproveitando o final de semana prolongado, por ocasião do feriado de Corpus Cristh.Mas em conversa com um amigo ouvi que a lotação para este período estava completa e que talvez não aceitassem mais ninguém, mesmo para a opção de day-use.

Partiu Trilha dos Tucanos - 6:45 hs.

Ainda assim fomos para lá, com a cara (de pau) e a coragem! E qual foi a nossa surpresa ao chegarmos e sermos recebidos com um caloroso abraço e palavras carinhosas que já fizeram valer a pena a nossa viagem.
Lembramos depois que estivemos ali a mais de um ano e fomos tratados como amigos que convivem sempre. É muito gratificante poder conhecer e conviver com pessoas assim, sinal de Princípios!

Muitas aves nos esperando e muitos novos amigos também.
A TRILHA É DOS TUCANOS!

E desta vez eu pude encontrar aqueles que emprestam o seu nome ao local, os belíssimos Tucanos!
Foram 04 espécies na verdade, um verdadeiro show de cores e formas.
O primeiro a aparecer e o que mais permitia a aproximação foi o Araçari-banana (Pteroglossus bailloni), vinham em grupos de até 05 indivíduos e pareciam não se importar com a nossa presença e nem com as nossa lentes.





Logo depois chegaram uma dupla de Tucanos-do-bico-verde (Ramphastos dicolorus), estes um pouco mais desconfiados. Mas não demorou muito para que perdessem a vergonha e deixassem que nos aproximássemos bastante dos comedouros.





A terceira espécie a aparecer foi o Tucano-do-bico-preto (Ramphastos vitellinus), extremamente desconfiado ficava no alto de arvores próximas e só descia quando nos afastávamos do comedouro...bem, no começo era assim, depois começou a se aproximar mais e no fim do dia já estava roubando a banana das outras espécies.







Faltava ainda o quarto integrante desta trupe, na verdade A quarta, pois quem deu as caras foi apenas uma fêmea do Araçari-poca (Selenidera maculirostris). Muito calma descia para comer bananas que caíram ao chão e não se importava com a aproximação.




Mas não foram apenas os Tucanos que deram um show para nossos olhos e lentes. Pica-paus, Saíras e várias outras aves também marcaram presença e aproximavam-se tanto que em alguns momentos a câmera não conseguia focar.











E quase tudo isto avistamos antes do almoço!
Faltava agora fazermos uma trilha, buscando assim aumentar o espaço interno para a deliciosa refeição que nossa anfitriã preparava. Optamos pela trilha do Macuco, bem próxima da sede e de fácil caminhada.


Uma dica muito valiosa para quem se aventura no mato é o uso de proteção. Roupas de manga longa e que permitam a pele respirar são bem vindas. Repelentes para mosquitos e carrapatos, aplicados na pele e também nas roupas, afinal estes insetos são transmissores de diversas doenças, algumas delas podem até matar um ser humano.
O uso de perneiras é imprescindível, pois cobras são absurdamente comuns no meio da mata...rsrsrs.
Neste dia um amigo que lá se encontrava, fotografou uma Coral e a princípio achou ser uma coral-falsa, mas a identificação da mesma sugere que seja uma verdadeira, portanto não vale a pena arriscar.


Foto by Mônica Pompeo

Pensa que a vida de esposa/ assistente/ estagiária de fotógrafo é fácil?
Tem que carregar o equipamento e ainda atravessar por lugares assim...

Olhando assim até parece fácil.
De volta a sede da pousada e aquele almoço delicioso já nos aguardava, juntamente com a simpatia dos anfitriões.
Neste momento o Douglas Bete chega no restaurante e anuncia ter encontrado o Sabiá-cica (Triclaria malachitacea) e foi aquela debandada...Bom, eu não! Terminei calmamente a minha refeição e depois fui até o local onde estavam. Consegui o registro mas as fotos não ficaram legais.



A TRILHA É DOS TUCANOS MAS O REFEITÓRIO É DOS BEIJA-FLORES...

Fiquei impressionado com o aumento no número de beija-flores que encontramos lá desta vez!
Dezenas de indivíduos circulam por entre os bebedouros espalhados pela área do refeitório, sempre disputando (violentamente até) pelo direito de se alimentarem no mesmos.
Percebemos também um aumento significativo no número de abelhas que se aglomeravam nos bebedouros.
Várias espécies de beija-flores visitavam o local mas eram os Beija-flor-rubi que tiranizavam os demais...rsrsrs. Tomaram a vez dos rabo-de-tesoura, que por ali não aparecem.



Montei um pequeno set com algumas flores que encontrei na mata, alguns flashes disparados via rádio e um disparador a cabo para a câmera. Depois foi sentar, se acomodar e ficar ali fotografando estas jóias aladas, na companhia de vários amigos.







Em determinado momento o número de frequentadores aumentou muito e começamos a apostar quem iria ser alvejado na testa por um beija-flor em primeiro lugar!
Tive então a feliz ideia de sugerir a minha esposa para que segurasse uma tampinha com água e açúcar em sua mão e veríamos se algum deles se aproximaria...Bingo!!!!

Mônica alimentando um beija-flor em sua mão
 Embora a experiência tenha sido extremamente rápida, a emoção gerada foi intensa e permanece até agora. Isto nos fez pensar que se os homens pudessem viver mais tais situações, talvez não mais aprisionariam aves em gaiolas...quem sabe um dia?
O dia terminava lentamente e faltava ainda ver o João, a Irara mais famosa e fotografada do Brasil!
Mas como toda grande celebridade ele também tem suas manias e desta vez não quis aparecer...Tudo bem, agora teremos que voltar em breve.
Hora de arrumar as coisas e pegar a estrada, mas antes uma última foto de um ruidoso bando de periquitos...Até breve amigos!



5 comentários:

  1. Adorei suas fotos. Eu gosto de fotografar a natureza, mas não tenho experiencia em fotografar animais. Suas fotos me inspiraram a comprar uma nova camera para me aventurar nesse mundo inigualável de cores e movimentos.

    ResponderExcluir
  2. Fico muito feliz com isto, avante!!!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns, lindas fotos e excelente narrativa. Estou indo para lá em meados de janeiro. Acha que é uma boa época?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado!Qualquer época é boa neste local! Mas janeiro costuma chover muito, portanto fique preparado.

      Excluir
  4. Ok. Obrigado pela atenção.
    Abs,

    ResponderExcluir